A arte como possibilidade de saúde mental.

UCPEL 2019

TEXTO I

O que é melhor para a saúde mental de uma pessoa: eletrochoques, lobotomia ou a prática de uma atividade artística? A pergunta pode ser considerada chocante por alguns, mas há pouco tempo atrás, práticas que hoje são consideradas como meios de tortura já foram empregadas como maneiras supostamente eficientes para promover a cura.

Disponível em: https://desenhosrealistas.com.br/loucura-e-arte-como-cura/. Acesso em: 15 outubro 2018. Adaptado.

TEXTO II

A ARTE DE INTERNOS PARTICIPANTES DE OFICINA CRIATIVA EM HOSPITAL PSIQUIÁTRICO.
Documentário de Mário Eugênio Saretta. Estreou em junho de 2017, em Porto Alegre, o documentário “Epidemia das Cores”, um filme que aborda o trabalho da Oficina de Criatividade no Hospital Psiquiátrico São Pedro, na capital gaúcha. O filme conta com direção do antropólogo Mário Eugênio Saretta, que passou dois anos entrevistando pacientes, ex-internos, funcionários e voluntários do hospital. “Epidemia das Cores” visa esclarecer a importância da arte como instrumento para o tratamento médico de pessoas com transtornos mentais. Atualmente, o documentário está em cartaz apenas em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mario Quintana, mas ganhou um edital de distribuição e em breve estará em outras praças pelo país.

Disponível em: http://canalbrasil.globo.com/programas/e-tudo-verdade/materias/epidemia-de-cores-sera-exibido-em-junho.htm. Acesso em: 15 outubro 2018. Adaptado.