A desvalorização da Ciência.

Não nasceram agora os efeitos danosos da ação desbragada do homem na aplicação do conhecimento
científico e tecnológico. Apesar dos eventuais alarmes, em geral enfrentados com ceticismo, continuou a humanidade a aproveitar ardorosamente os recursos da ciência e da tecnologia, numa irrefreável “euforia tecnocrática”.


O encanto pela libertação da energia nuclear cedo desapareceu quando o homem passou a meditar sobre os efeitos da bomba atômica e, em particular, sobre a aparente incoerência de aplicar aquela fabulosa energia primeiro num instrumento de destruição, em vez de o fazer nas redes de eletricidade. Mais tarde, o entusiasmo aerospacial, que colocou homens na Lua, logo se frustrou diante da verificação de que cresciam as desigualdades entre os mundos desenvolvido e subdesenvolvido. Afinal, o tardio reconhecimento dos terríveis danos que a poluição avassaladora acumulara no ambiente transformou para muitos o enlevo inicial em sentimento de desespero e revolta.


Esses fatos, somados à verificação de que a ciência, dominada pela tecnologia, se fizera em grande parte prisioneira de temíveis jogos do poder, e, por outro lado, ameaçava, pelos enormes progressos da manipulação genética, modificar o próprio homem e sua evolução natural. Não se estriba a anticiência apenas na demonstração das consequências nocivas da ciência, mas também em considerações filosóficas mais amplas, como a que impugna a própria objetividade que se lhe atribui. Ainda aí estão a pensar num estilo de ciência fora de moda. Ninguém mais consciente do que os bons cientistas das limitações de sua objetividade e da influência do emocional em seus atos criativos. O que a anticiência não nos diz é se, sem essa relativa objetividade e emocionalidade da ciência, teríamos o mundo de conhecimentos que hoje possuímos e de que eles, os anticientistas, como todos os homens, estão a beneficiar-se a cada instante.

A partir da leitura do texto motivador e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema: “A desvalorização da Ciência”.

Adaptado de https://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe2605200203.htm. Adaptado. Acesso em 28 de janeiro de 2021.