Como dar assistência aos imigrantes no Brasil?

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em modalidade escrita formal da língua portuguesa, sobre o tema como dar assistência aos imigrantes no Brasil?, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO 1:

Fundado em dezembro de 1993 pela Profa. Dra. Margarete Schlatter, o Programa de Português para Estrangeiros (PPE) é um programa de extensão que promove cursos de português para falantes de outras línguas, cursos de formação de professores, desenvolve pesquisa e material didático na área e promove intercâmbios com instituições de ensino nacionais e internacionais. Seus professores e pesquisadores são centralmente alunos bolsistas da graduação e pós-graduação do Instituto de Letras (IL) da UFRGS. Alunos de outros cursos de graduação da UFRGS, como Teatro ou Jornalismo, participam como professores bolsistas de cursos de natureza interdisciplinar, em docências compartilhadas com professores bolsistas da Letras. Na secretaria, atuam dois bolsistas de graduação. Ao total, o PPE conta com aproximadamente 30 professores bolsistas por semestre, sob a coordenação de uma equipe formada por três professoras do quadro docente do IL/ UFRGS.

Disponível em: http://www.ufrgs.br/ppe/o-programa. Acesso em 10 de outubro de 2020.

TEXTO 2:

Porto Alegre é a terceira cidade do Brasil que mais recebe imigrantes. São pessoas que, na maioria das vezes, vêm de muito longe em busca de uma vida melhor. Quando chegam ao novo país, o primeiro desafio é encontrar uma forma de se sustentar. Mas conseguir um trabalho é uma tarefa difícil para aqueles que possuem formação universitária.

A Prefeitura de Porto Alegre estima que cerca de 3,7 mil imigrantes vivem hoje na capital gaúcha. A maioria são haitianos, senegaleses e venezuelanos. Muitos são vistos trabalhando na informalidade pelas ruas.

De acordo com informações do Ministério do Trabalho, Porto Alegre tem se destacado entre as capitais que mais empregam estrangeiros. São 1.706 com trabalho formal, número que a deixa atrás apenas de São Paulo e Boa Vista, Roraima.

Disponível em: https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2018/07/23/mesmo-com-formacao-universitaria-imigrantes-enfrentam-dificuldades-para-encontrar-emprego-em-porto-alegre.ghtml. Acesso em 10 de outubro de 2020.

TEXTO 3:

Os venezuelanos, que buscam refúgio da crise que atingiu o país nos últimos anos, têm chegado ao Acre com certa frequência. Há mais de 15 anos, a Venezuela enfrenta uma crescente crise política, econômica e social. O país vive agora um colapso econômico e humanitário, com inflação acima de 1.000.000% e milhares de venezuelanos fugindo para outras partes da América Latina.

O Brasil é uma das rotas escolhidas e muitos chegam ao Acre e ocupam as ruas da capital pedindo esmola para sobreviver. Enquanto o estado desenha os termos do protocolo de assistência aos imigrantes, eles continuam nos semáforos em busca da solidariedade dos acreanos e de uma vida melhor.

Disponível em: https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2019/11/10/venezuelanos-vagam-pelas-ruas-do-ac-pedindo-esmola-e-governo-cria-politica-de-apoio-a-imigrantes.ghtml. Acesso em 10 de outubro de 2020.