Como gerir os recursos hídricos no Brasil?

Leia os textos motivadores.

TEXTO 1

BR-135 é fechada em protesto contra a falta de água em Cristalândia (PI).

Adaptado de: http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2013/09/br-135-e-fechada-em-protesto-contra-falta-de-agua-em-cristalandia-pi.html

TEXTO 2

Documentário sobre falta de água no mundo é destaque no Netflix Brasil: produção “A Thirsty World” traz números assustadores sobre o uso da água para produção de alimentos e bens materiais, além de mostrar pessoas que vivem sem água.

Em meio a crise de água que assola São Paulo e outros estados brasileiros, nada mais atual do que discutir e repensar o uso dos recursos hídricos na sociedade. Disponível no Netflix Brasil, um documentário chamado “A Thirsty World” (“Um mundo com sede”, em tradução livre) faz exatamente isso. Filmada em cerca de 20 países, a produção acompanha uma verdadeira jornada do fotógrafo francês Yann Arthus-Bertrand por diversas situações que mostram o cuidado cada vez mais essencial que o mundo como um todo deve ter com a água. O filme se destaca ao mostrar como vivem milhões de pessoas no mundo que não tem acesso à água, como também em discutir o uso da chamada “água virtual”, que é gasta na produção de alimentos e diversos itens de consumo do nosso dia-a-dia. Para se ter uma ideia, são necessários três litros de água para produzir uma garrafa de um litro de água mineral, aponta o filme. Outro exemplo que chama a atenção é o gasto necessário para a produção de alimentos: 1kg de tomate exige o uso de 185 litros de água, enquanto que uma baguete utiliza 330 litros de água. Segundo o documentário, uma família europeia padrão com quatro pessoas gasta o equivalente a 140 mil litros de água por semana.

Adaptado de: https://itmidia.com/documentario-sobre-falta-agua-no-mundo-e-destaque-no-netflix-brasil/

TEXTO 3

Em nível global, o desafio é conter o aumento da temperatura do clima, fator que gera ondas de calor e extremos de seca que afetam a disponibilidade de água. O relatório especial do Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas, das Nações Unidas, divulgado recentemente, mostra que, se a temperatura global subir acima de 1,5°C, em todo o mundo mais de 350 milhões de pessoas ficarão expostas até 2050 a períodos severos de seca.

Brasil: o mito da abundância 

“As gerações mais antigas foram criadas com o mito do país riquíssimo em água, que água seria um problema crônico, histórico, só no Nordeste, no semiárido. Obviamente, desde 2013, na primeira crise que a gente teve, o apagão, que na verdade foi um “secão”, porque não foi resultado só de uma questão elétrica, ficou claro que o Sudeste e o Centro-Oeste têm problemas concretos, intensificados nos últimos dois anos, de disponibilidade de água”, destacou Ricardo Novaes, especialista em Recursos Hídricos do WWF-Brasil.

O pesquisador explica que a crise resulta também da falta de adequada gestão do uso da água, sobretudo em períodos de estiagem –  tendência que deve se manter tendo em vista o baixo índice de precipitação registrado no início desta primavera.

Adaptado de: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2018-10/agua-no-brasil-da-abundancia-escassez

Com base na leitura dos textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em modalidade escrita formal da língua portuguesa, sobre o tema como gerir os recursos hídricos no Brasil, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.