Como oferecer uma alimentação de qualidade na rede de ensino?

Leia os textos motivadores.

TEXTO 1

Chef Jamie Oliver engaja-se em campanha por merenda infantil saudável

Criança gosta de comer porcaria. Hambúrguer, cachorro-quente e chocolate. É isso que o chef inglês Jamie Oliver deseja combater. Para ele, o que se come é uma questão de vida ou de morte.

– Eu trabalho para mudar a alimentação das pessoas e, assim, salvar a vida delas – salienta.

Em 2005, o cozinheiro, que ensina receitas em programas de TV, engajou-se em uma grande mobilização para mudar a merenda escolar das crianças britânicas. A campanha originou duas séries com sucesso de audiência no mundo todo: Jamie’s Ministry of Food (O Ministério de Alimentos do Jamie) e Jamie’s School Dinners (Cozinheiros Escolares de Jamie).

Os estudantes ingleses testaram a dieta proposta por Oliver durante um ano. Com frutas, verduras e carne vermelha em receitas atraentes, eles melhoraram o desempenho escolar de forma considerável. A pesquisa apontou, por exemplo, que a nota média dos alunos de 11 anos cresceu 4,5% em Inglês e 6% em Ciências. Também se reduziu o número de inaladores de ar entre os asmáticos, o que pesquisadores consideram um indício de uma saúde mais tranquila e controlada. E, melhor, os pequenos começaram a gostar do que estavam comendo.

– O que vai dizer se é bom ou ruim é o modo de preparo – garante o chef.

Pois, depois do sucesso em sua terra natal, Jamie decidiu atravessar o oceano. A série Jamie’s Food Revolution (Revolução de Jamie na Comida) foi gravada na cidade de Huntington, no Estado de West Virginia, nos Estados Unidos, e estreou na rede americana no final de março desse ano.

O vídeo de lançamento da campanha na terra do fast-food mostra o obstinado cozinheiro sofrendo com a hostilidade dos moradores da cidade, que tem mais de 50% dos adultos obesos, de acordo com o governo.

A sensibilização de Oliver começa na cozinha das escolas e vai até a casa dos alunos. Os americanos resistiram mesmo vendo pilhas de alimentos industrializados e embutidos. O chef não desistiu, mesmo apavorado com os hábitos alimentares nos EUA. O vídeo mostra uma criança que não reconhece um tomate, por exemplo.

Adaptado de: https://gauchazh.clicrbs.com.br/donna/noticia/2010/06/chef-jamie-oliver-engaja-se-em-campanha-por-merenda-infantil-saudavel-cjpmsygos01d3vtcnofy5d5w7.html

TEXTO 2

Merenda é a refeição oferecida nos estabelecimentos de ensino. Em regiões pobres, considera-se que a merenda escolar é, para milhões de alunos, a principal, senão a única refeição diária.

A distribuição de merenda escolar teve início no Brasil através do Programa de Merenda Escolar (PME), criado em 1954. O programa ganhou abrangência nacional na gestão do ministro Cândido Mota Filho, durante o governo do presidente Café Filho. A idéia era proporcionar uma refeição que cobrisse pelo menos uma parte das necessidades nutricionais diárias dos alunos da rede pública e filantrópica. No início, o programa era centralizado em Brasília, sob responsabilidade da Comissão Nacional de Alimentos (CNA). A compra, em grandes quantidades, favorecia a corrupção e havia denúncias de superfaturamento.

A partir do final dos anos 90, considera-se que o processo que mais evoluiu foi o de escolarização da merenda, pois as secretarias estaduais e municipais de educação recebem os recursos do MEC e transferem-nos direto para as escolas, que assumem todas as operações do programa. A experiência mostrou que a participação da comunidade e da direção escolar na gestão dos recursos reduz a margem de corrupção e melhora a qualidade da alimentação servida aos alunos.

Com novo nome, PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), o programa de merenda escolar tem atualmente a meta de garantir que o cardápio da alimentação escolar seja programado de modo a fornecer cerca de 350 quilocalorias e 9 gramas de proteínas por refeição, ou seja, 15% das necessidades diárias de calorias e proteínas dos alunos beneficiados. Os gestores do PNAE são o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e os Conselhos de Alimentação Escolar (CAE).

Adaptado de: https://www.educabrasil.com.br/merenda-escolar/

Com base na leitura dos textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em modalidade escrita formal da língua portuguesa, sobre o tema como oferecer uma alimentação de qualidade na rede de ensino?, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.