Como proteger o patrimônio histórico e cultural no Brasil?

Leia os textos motivadores.

TEXTO 1

A palavra patrimônio vem de pater, que significa pai e tem origem no latim. Patrimônio é o que o pai deixa para o seu filho. Assim, a palavra patrimônio passou a ser usada quando nos referimos aos bens ou riquezas de uma pessoa, de uma família, de uma empresa. Essa ideia começou a adquirir o sentido de propriedade coletiva com a Revolução Francesa no século XVIII.

Segundo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, o patrimônio cultural de um povo é formado pelo conjunto dos saberes, fazeres, expressões, práticas e seus produtos, que remetem à história, à memória e à identidade desse povo.

(…) De acordo com o Art. 216 da Constituição Federal Brasileira constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira.

 São eles:
–  As formas de expressão;
–  Os modos de criar, fazer e viver;
–  As criações científicas, artísticas e tecnológicas;
– As obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
– Os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

Adaptado de: http://www.cultura.al.gov.br/politicas-e-acoes/patrimonio-cultural/principal/textos/patrimonio-cultural-o-que-e

TEXTO 2

O professor Alfredo Bosi nos adverte que: “[…] não existe uma cultura brasileira homogênea, matriz dos nossos comportamentos e dos nossos discursos. Ao contrário, a admissão de seu caráter plural é um passo decisivo para compreendê-la como um ‘efeito de sentido’, resultado de um processo de múltiplas interações e oposições no tempo e no espaço”. Somos um país continental, com marcantes diferenças constitutivas e culturais ao longo de nossa história; com processos de urbanização e desenvolvimento distintos; e com especificidades geográficas e culturais, local e regionalmente.”

Adaptado de: https://www.sescsp.org.br/pt/sobre-o-sesc/palavras-do-diretor/138_HISTORIA+FORMACAO+IDENTIDADE+E+CARACTE%20RISTICAS+CULTURAIS+DO+BRASIL

TEXTO 3

O incêndio que destruiu o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, neste domingo (02/09), entrou para a história como a pior tragédia envolvendo um patrimônio cultural e científico do Brasil, afirmou Andrey Schlee, presidente substituto e diretor de patrimônio material do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Com 200 anos de existência recém-completados, em junho, o Museu Nacional é administrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desde 1946. No entanto, o edifício principal, o acervo arqueológico e nove pergaminhos judaicos que estavam no prédio são tombados pelo Iphan. Por isso, a direção do instituto acompanha de perto o desenrolar da tragédia. “Infelizmente, esta é a maior tragédia para o patrimônio cultural na história do Brasil, e ainda vai demorar para entendermos a real dimensão das perdas históricas e científicas não só para o nosso país, mas para o mundo”, afirmou Schlee.

Adaptado de: https://www.dw.com/pt-br/%C3%A9-a-maior-trag%C3%A9dia-para-o-patrim%C3%B4nio-cultural-na-hist%C3%B3ria-do-brasil/a-45338481

Com base na leitura dos textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em modalidade escrita formal da língua portuguesa, sobre o tema como proteger a o patrimônio histórico e cultural no Brasil?, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.