Gentrificação: causas e consequências sociais.

Leia os textos motivadores.

TEXTO 1

Adaptado de: http://www.courb.org/pt/o-que-e-gentrificacao-e-por-que-voce-deveria-se-preocupar-com-isso/

TEXTO 2

Existem dois tipos de habitantes: os que pertencem e os que não pertencem à cidade. Levados às periferias, os que não pertencem lutam para garantir seu espaço no centro – próximos do trabalho, do comércio e longe do esquecimento. Lutam contra a gentrificação; processo que afeta uma região ou bairro pela alteração das dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou construção de novos edifícios, valorizando a região e afetando a população de baixa renda local. Do escravizado Areal da Baronesa à Ilhota da década de 60. Da Vila Tronco, com as magníficas “obras da Copa” revelando as redes de esgoto, à Vila Dique, cujos moradores caminham 10 km até o posto de saúde mais próximo. Porto Alegre vive os resultados da gentrificação, mascarada como “renovação”, que exclui e ignora aqueles que lutam por um espaço ao centro.

O anúncio de que Porto Alegre seria uma das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014 veio acompanhada de promessas de obras que trariam melhoria na qualidade de vida para a população e mais dinamismo econômico para a cidade. Uma delas era a ampliação da pista do aeroporto Salgado Filho que exigia, entre outras coisas, a remoção das famílias que viviam na Vila Dique, localizada ao lado do aeroporto. Entre 2009 e 2012, um pouco mais de 900 famílias foram removidas para o condomínio Porto Novo, na região norte de Porto Alegre. O posto de saúde instalado na vila também foi removido deixando desassistidas as cerca de 300 famílias que permaneceram na área.

Sheila Mota, presidente da Associação Comunitária da Vila Dique Resiste, diz que a disposição da comunidade é lutar para permanecer na área. Para tanto, as famílias decidiram recorrer, de modo coletivo, ao instrumento do usucapião urbano. “Estamos vivendo aqui há 40 anos e há cinco anos estamos resistindo nesta luta para permanecer nesta área. Queremos mostrar ao poder público que nós pertencemos à cidade, que os de baixo também pertencem à cidade. Queremos o privilégio de morar perto de um centro comercial, perto de um lugar onde a gente tem nosso trabalho, para que a gente possa chegar mais rápido ao nosso trabalho. Queremos poder trabalhar sem ter que atravessar a cidade para isso, sem ter que morar na periferia da periferia da cidade, que é o que o poder público faz, jogando as comunidades cada vez mais para a periferia da periferia”.

Adaptado de: http://especiais.sul21.com.br/

TEXTO 3

A palavra gentrificação, forma aportuguesada do inglês gentrification, tem sido vista no noticiário com frequência ainda pequena, mas crescente, e parece a caminho de se firmar em nosso vocabulário. O principal mérito do substantivo gentrificação – ato ou efeito de gentrificar, outro vocábulo emergente, também importado do inglês – é o de nomear de forma sucinta um fenômeno complexo. A tradução “enobrecimento urbano”, favorecida por alguns estudiosos, precisa de duas palavras para dar o mesmo recado.

O verbo inglês to gentrify é derivado de gentry, “nobreza, fidalguia”, uma velha palavra oriunda, via francês, do latim gentilis, “da mesma família ou raça”. Nosso vocábulo gentil tem a mesma raiz e, antes de se firmar com o sentido de “delicado, elegante, fino”, queria dizer “fidalgo, de boa linhagem”. A pouco usada palavra gentil-homem (do francês gentilhomme), isto é, cavalheiro, guarda vivo tal sentido.

Adaptado de: https://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/gentrificacao-o-que-e-isso/

Com base na leitura dos textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo, em modalidade escrita formal da língua portuguesa, sobre o tema gentrificação: causas e consequências sociais.

Instruções:

A versão final do seu texto deve:

1 – conter um título na linha destinada a esse fim;

2 – ter a extensão mínima de 30 linhas, excluído o título – aquém disso, seu texto não será avaliado -, e máxima de 50 linhas. Segmentos emendados, ou rasurados, ou repetidos, ou linhas em branco terão esses espaços descontados do cômputo total de linhas.